“Três Anúncios Para Um Crime” – Crítica O Lado Cinéfilo da Força

“O sul não é mais o mesmo.”

A frase acima é de autoria de uma das personagens do novo filme do diretor Martin McDonagh (“Na Mira do Chefe” e “Sete Psicopatas e um Shih Tzu”). “Três Anúncios Para Um Crime” demonstra o choque de uma das regiões mais conservadoras do território americano ao encarar as mudanças na sociedade e as consequências de suas atitudes.

Apresentado no Festival Internacional de Cinema de Veneza, de 2017, o filme narra o drama de Mildred (Frances McDormand), uma mãe que teve sua filha estuprada e assassinada. Sete meses após o crime, a polícia, liderada pelo xerife Bill Willoughby (Woody Harrelson), ainda não encontrou o culpado, e o caso foi arquivado. Revoltada pela ineficiência da instituição, Mildred aluga três outdoors, que beiram uma estrada pouco movimentada próxima à cidade de Ebbing, no interior do Missouri, cobrando uma atitude da polícia. A ação repercute por toda a localidade, gerando consequências significativas na vida dos personagens.

Em meio a um assunto tão polêmico como o estupro, o filme também abre espaço para críticas sociais em relação ao preconceito com negros, homossexuais e anões. A violência doméstica também surge no relacionamento de Mildred e seu ex-marido, mas, como não há provas, ele ainda é considerado um “bom homem”. São assuntos extremamente densos, mas apresentados com certa leveza através do humor negro. Por meio do sarcasmo dos personagens, a autoridade também é bastante criticada, através da apresentação de uma polícia acomodada, e que, muitas vezes, abusa do poder, especialmente, em relação a um policial que tortura negros. Mas, novamente, não há evidências, e este ainda é considerado um bom policial entre os seus. De origem irlandesa, o diretor transmite, perfeitamente, a hipocrisia de uma pequena cidade do interior dos Estados Unidos.

Um dos trunfos da narrativa também está nas mãos do elenco espetacular, e na construção de seus personagens. Complexos, fogem da configuração de bom/mal. São humanos, e, às vezes, fazem escolhas erradas mesmo tendo as melhores intenções. Sam Rockwell impressiona na pele de Jason Dixon. De raciocínio lento, preconceituoso e abusando de seu poder como policial, este é um dos personagens mais complexos da obra. Tendo sua própria visão sobre o mundo e mimado pela mãe, se desenvolve de forma inesperada. Mas a estrela do filme é Mildred Hayes, uma personagem forte, extremamente sarcástica, durona e, ao mesmo tempo, amorosa. Muitas de suas atitudes são questionáveis, mas Frances McDormand envolve o público de uma maneira tão intensa na dor de uma mãe assombrada pelo terrível assassinato não resolvido da filha, que se torna admirável sua luta pela justiça, independente de suas escolhas.

Três Anúncios Para Um Crime” ganhou o Globo de Ouro nas categorias de Melhor Filme de Drama, Melhor Atriz de Drama (Frances McDormand), e o SAG Awards por Melhor Elenco e Melhor Atriz (Frances McDormand). Uma das grandes promessas do Oscar, o filme recebeu sete indicações, incluindo Melhor Filme, Melhor Atriz (Frances McDormand) e Melhor Ator Coadjuvante (Woody Harrelson e Sam Rockwell), e tem tudo para ser o grande vencedor da noite.

Leva 10 (Dez) sabres de luz na avaliação.

May the movie be with you.

No Comments Yet.

Leave a comment

You must be logged in to post a comment.