Finalmente Podemos Falar de Rogue One (Parte 2)

Continuemos a falar das impressões do filme Rogue One.

Como foi o avanço no amadurecimento de “Guerra nas Estrelas” em “Rogue One”? Em primeiríssimo lugar, esse é o filme que mais tem cara de histórias do Universo Expandido. Apesar de tudo que é produzido sobre “Guerra nas Estrelas” da Era Disney para cá ser considerado parte do cânone oficial, há muitas coisas de altíssima qualidade dignas da série “Legends”, sendo que os melhores livros dessa série geralmente davam mais consistência às histórias contadas nos filmes e buscavam resolver algumas contradições. Por exemplo, o livro “Darth Plagueis”, de James Luceno, dá uma nova perspectiva aos acontecimentos de “A Ameaça Fantasma”, preenchendo algumas lacunas que empobreciam o filme. “Rogue One” faz o mesmo com “Uma Nova Esperança”, por exemplo. O próprio final do filme é uma ponte direta para “Uma Nova Esperança”. Ainda, sempre ficou muito mal contada a história de que uma violenta e poderosa arma de destruição que é a Estrela da Morte fosse tão vulnerável. Mas isso fica muito mais compreensível quando sabemos que Galen Erso, ao ser obrigado pelo Império a construir a arma, introduziu propositalmente essa vulnerabilidade. Assim, “Rogue One” faz o papel dos bons livros do Universo Expandido da série “Legends” que justificam esses pequenos problemas na história.

Saw Gerrera, o extremista

Outro ponto que aproxima muito “Rogue One” do Universo Expandido, sobretudo da trilogia Zahn (e talvez um pouco da trilogia prequel), é a questão das discussões políticas. Esse filme coloca uma reflexão notável sobre as posturas da Aliança Rebelde. Se na época de Lucas, os rebeldes eram heróis cheios de virtudes, defensores da liberdade e da justiça, agora a coisa fica um pouco mais complexa. As atitudes nem sempre são louváveis ou virtuosas. Jyn Erso é persuadida a ajudar a Aliança a encontrar seu pai, sem saber que, pelas costas, há um plano da Aliança em matar Galen Erso. Dois personagens desse “lado sombrio” rebelde são emblemáticos: Cassian Andor e Saw Gerrera. Andor foi uma gratíssima surpresa para o filme. Esse protagonista, que estava sempre ao lado de Jyn, tinha uma natureza muito dúbia. Ao início da película, ele era frio e calculista, não hesitando em matar quem quer que fosse quando necessário. À medida que ele conhecia mais profundamente Jyn e até algumas atitudes de Galen (que pediu a Krennic que não matasse os cientistas sob seu comando), Andor sofreu uma reviravolta em seu caráter. Ponto para Diego Luna, que soube conduzir bem o personagem. Inicialmente, ele usou caras e bocas que deixaram Andor extremamente rude e tenso. Mas, com o tempo, ele passou a ter atitudes mais afetuosas para com Jyn. Para quem achava que Andor seria uma espécie de coadjuvante de luxo, a sua importância no filme foi muito bem vinda. Já o personagem de Saw Gerrera é muito curioso. Tendo aparecido nas “Guerras Clônicas”, Gerrera é o estereótipo do terrorista radical. O homem se desliga da Aliança Rebele e passa a agir por conta própria. Sua forma extremista de atuar provoca problemas até para a Aliança, nas palavras da própria Mon Mothma. Outro ponto de cisão na Aliança Rebelde ficou claro quando o próprio grupo Rogue One desrespeita uma decisão da Aliança de não atacar Scarif para roubar os planos da Estrela da Morte. Assim, podemos perceber como há divergências entre os membros da Aliança e que não há uma unanimidade de opiniões, abrindo margem para disputas e implicações políticas entre os rebeldes. Esse clima pesado entre os mocinhos é uma mostra de como houve um amadurecimento na saga e de como o Universo Expandido é uma influência direta, pois já trabalha essa questão há um bom tempo.

Saw Gerrera nas “Guerras Clônicas”

Durante as gravações do filme, houve um rumor de que a Disney estava achando a trama muito séria e que a película precisava de um pouco de humor. No resultado final, vemos esse humor um tanto negro, sobretudo nas falas rudes de K2SO e no ato de se encapuzar um cego, mas que não atrapalhou o tom de tensão e seriedade da história.

Na próxima parte desse artigo, continuaremos a falar de mais virtudes do filme “Rogue One”. Até lá!!!

Grupo Rogue One invade Scarif desrespeitando uma ordem da Aliança Rebelde.

No Comments Yet.

Leave a comment

You must be logged in to post a comment.